voltar para a página principal
VAMOS CONHECER O CURSO?
... um CTESP da EsACT, do IPB ... na área da comunicação!

Porquê este curso?

9 razões para justificar a criação do CURSO!

1 Migração da plataforma analógica para a plataforma digital!

Hoje, a Sociedade no geral, e as empresas em particular, deparam-se com uma realidade que se altera a uma velocidade vertiginosa, e em que as ferramentas digitais assumem um papel crucial em todo o processo.

2 Novos requisitos associados ao perfil do colaborador!

Face à ascensão do mundo digital, novas práticas do saber fazer são imprescindíveis, e o uso de ferramentas tecnológicas de apoio a processos  de comunicação entres os stakeholders da empresa torna-se obrigatória.

3 Hoje, a interação entre a empresa e o consumidor é imediata!

A comunicação na World Wide Web passa a ser considerada um instrumento essencial na vida das empresas. Hoje a participação do consumidor, mais do que antes, é valorizada, argumento suficiente para suscitar alterações profundas ao nível das estratégias de comunicação das empresas.

4 Existe orientações formativas com o intuito de colmatar lacunas detetadas no mercado!

Estudos e diretrizes que apontam esta área como estratégica a nível nacional e europeu que se encontram presentes na Agenda Digital Europeia 2010 – 2020.

… e  apresentam orientações formativas com o intuito de colmatar lacunas detetadas no mercado, tal como apresenta o estudo da Rede Ibero-americana de Comunicação Digital (Rede ICOD), em 2006.

5 Enquadra-se com a estratégia da Agenda digital Europeia!

O curso visa melhorar a literacia digital, as qualificações nesse domínio e a inclusão na sociedade digital. Este é um objetivo do pilar VI da Agenda Digital Europeia.

6 Utilização na formação de plataformas open-source!

Para fazer face aos custos de instalação em contexto de crise económica, é esta a nossa estratégia.

E segundo Roberto Carneiro, em entrevista à Revista Pessoal de Dezembro p.p. referia que a “Utilização de plataformas open-source para fazer face aos custos de instalação em contexto de crise económica, incentiva à participação das PME em redes, e fomento de comunidades de prática (CoP) profissionais e sectoriais. Um trabalho interno ancorado nesta nova visão de PME 2.0 (mais intensas em conhecimento, mais colaborativas, interna e externamente) deve ser previamente elaborado. Mais do que novas tecnologias de informação estamos a falar fundamentalmente de tecnologias organizacionais e relacionais. O seu impacto e a mudança potencial associada assim o exigem.”

Consultar mais informação no documento “Estudo aprendizagem informal e utilização das TIC nas PME Portuguesas

7 As empresas necessitam de ter  acesso ao mercado global – internacionalização!

Utilizando ferramentas de comunicação e marketing muito poderosas e altamente eficazes para a empresa.Com efeito, o paradoxo global/local apresenta-se como uma oportunidade de negócio para as empresas, e em particular, para as empresas portuguesas das regiões periféricas e deslocalizadas.

E a representação empresarial online, fortalece da estratégia comercial e comunicativa, e desta forma contribui para a melhoria dos negócios e da relação com o cliente.

8 Aumento da procura de informação/serviços Web e móveis!

De modo a dar resposta ao aumento da procura de informação/serviços Web e móveis e a tendência crescente para utilização das redes sociais nas organizações, novas competências são exigidas aos colaboradores

9 Nós temos um projeto educativo que privilegia a área da comunicação!

Faz parte do nosso projeto educativo  formar recursos humanos capazes de dinamizar o tecido empresarial da região.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *